Marlon Lima

Homens

“Saí de casa aos 19, pois minha madrasta não me aceitava como eu era. Não queria que eu fosse gay. Fui morar por aí. Um dia na casa de um, um dia na casa de outro. Até que fui morar sozinho, com a ajuda do meu pai. Numa brincadeira recebi um convite pra dançar numa escola de dança da minha cidade. E a partir desse momento eu me descobri. Foi na arte que eu me encontrei. Entendi que a arte era meu mundo. Aos trancos e barrancos eu fui levando. E tentando. Fiz espetáculos que nunca achei q seria possível. O fato de poder encantar as pessoas é maravilhoso.”

“Fui deixado pela minha mãe quando tinha quatro anos de idade. Fiquei morando com meu pai e minha madrasta. Passei anos pensando como teria sido minha vida se tivesse ficado morando com ela.
Em 2013 eu achei minha mãe no facebook. Entrei em contato, tentei saber o por que dela ter ido embora. E até hoje eu não sei.
Foi uma das experiências mais traumatizante que eu já tive. Ela não me disse nada com nada.

Depois de algum tempo, eu decidi bloquear ela no facebook. Percebi que nada de bom viria dali. E hoje me sinto bem com isso. Depois de 24 anos procurando, eu vi que fantasiei uma coisa que nunca existiu.”