Jessica Bittencourt

Mulheres

“Então eu comecei a namorar e veio a vontade de sair de casa, morar junto. Sabe quando a gente tá no telefone e começa a fazer aqueles desenhos inconscientemente?
Eu sempre desenhava uma casa… Então a gente tentou um financiamento e um dia antes do meu aniversário eu fiquei sabendo que tinha sido aprovado, a casa ia ser minha. Quando eu entrei na minha casa eu fiquei tão feliz que nem consegui dormir naquele dia”.

“Depois que o namoro acabou, quando me separei eu só fiquei em casa por conta do gordo, o bulldog, meu filho. Nunca fui de gostar de cachorro, minha mae dizia que eu era alérgica então eu nunca cheguei perto. No começo eu tinha uma certa rejeição por ele mas com o tempo a gente começou a se amar e hoje ele é meu filho”.

– O leonino precisa de feedback constante do que ele faz, se não ele não vê resultado.
E na minha casa era sempre eu que era chamada de problemática, a que fazia tudo errado, então eu chegava do trabalho e ia direto pro quarto, pra evitar conflito.
Todo mundo diz que eu sou a pá virada na família, mas eu sou a única que vai com meu pai na igreja e eu sempre rezo a noite….

– E o que tu pede quando reza?

– Antes eu pedia paz, amor, saúde e cuidados pra minha família…

– E agora?

– Agora eu só agradeço.

“Eu sinto que a igreja é meu lugar e eu tenho uma missão lá. Não sinto que a hora seja agora, mas sei que essa hora vai chegar”.

– Minha mãe sempre quis me proibir de fazer as coisas, mas pra mim era como se me incentivasse mais porque eu sou leonina então eu sempre fui muito independente.
– E com quem tu te dá melhor na tua família?
– Com a minha sobrinha. Ela tem 5 anos mas é igual a mim.