Jadi Froz

Mulheres

“Sempre fui muito mal resolvida com meu corpo. Sempre me achei muito feia. Gordura!!!

Na escola me chamavam de Mônica, por conta dos meus dentes e por ser gorda.

Minha própria familia me deixava assim às vezes, com meus vizinhos.

Sempre fui mais menino por causa disso, pra me esconder. Daí, depois que fiz 15 anos parece que abri meus horizontes. Me tornei mais feminina e mais segura. Hj sou feliz do jeito que eu sou, mas ainda me vejo como aquela menina de um tempo atrás, a Mônica hahaha”

“Eu sonhava em ser dentista! Saí do ensino médio, fiz Saúde Bucal. E daí, no estágio, no meu primeiro atendimento, eu desmaiei em cima do paciente!

Então eu tentei virar corretora, fiz o técnico. Fui trabalhar e quando cheguei lá, era só dinheiro, dinheiro, dinheiro, capital. E pra mim o mundo não gira em torno de dinheiro. Então saí de lá, trabalhei em vários lugares. Agora eu decidi que eu quero trabalhar com serviço social. Eu sempre paguei tudo que fosse estudar, por que como eu sou meio confusa, se eu decidisse parar, ninguém ia poder me cobrar”.

– Eu sou muito teimosa. Muito mesmo.

– E tu já te arrependeu por ser assim?

– Nossa, sempre que dá errado eu me arrependo. Se eu errar, vou achar que estava errada. Se eu acertar, também vou achar que estava errada.

“Comecei ler e conheci bastante da doutrina Espírita. Eu absorvo tudo que tem de ruim em todo mundo. Me irrita, por exemplo, quando dizem que os direitos humanos são pra bandido. Eu defendo os direitos humanos, porque é humano, simples assim. Eu sou, tu és, nós somos. E eu falo do básico mesmo. Alimentação, coisas assim. As pessoas não entendem esse conceito de forma clara”.

– Se tu pudesse mudar algo na tua personalidade, o que seria?

– Tudo! Sou muito explosiva, muito braba, se algo injusto ou ruim acontece eu surto. Fico tentando entender, o por quê dessa personalidade tao forte. Quando eu era pequena, vivia em psicólogas, pelos meus “traumas” de infância. Mas nunca adiantou muito, acabava enlouquecendo elas com esse meu jeito agitado. Se eu pudesse mudar algo, seria mais calma, paciente. Aprenderia a contar ate 100. Sinto que atrapalha um pouco minha vida, não saber controlar essa loucura que existe dentro de mim.