Camila Merlin & Scarlett Pimenta

Mulheres

“Camila, tenho 21 anos, esse nome foi escolhido pelo meu pai, pois era o nome da música favorita dele.

Infelizmente no dia que saí da maternidade eu o perdi em um acidente e minha mãe fez essa homenagem pra ele, colocando em mim o nome que ele tinha escolhido.

Quando nasci virei a vida de todos de pernas pro ar, até hoje eu me culpo pelo acidente que meu pai sofreu.
Só agora eu começo a compreender que não somos culpados pelas peças que a vida nos prega, ainda assim reflito como minha vida teria sido se ele estivesse ao meu lado.

Eu tive dois momentos que me aproximaram da minha mãe, o primeiro foi quando ela conheceu meu padrasto, por ter sido mãe muito jovem e não ter nenhuma ideia de como ser mãe. Ele então nos aproximou e a ensinou a ser mais afetiva comigo.

Fui uma garota de apartamento, criada embaixo da saia da minha vó até os meus 17 anos.
No primeiro ano do ensino médio conheci um novo mundo e acabei me descobrindo. No ano seguinte fui morar com a minha mãe, pois era uma adolescente estava “causando problemas”. Essa mudança repentina fez eu sair da zona de conforto e me aproximou da minha mãe novamente. Amadureci e aprendi com o meu padrasto que quando você quer alguma coisa tem que correr atrás, ninguém vai pegar sua mão e fazer por você.

Então eu realmente não me importava em acordar todo dia as 5:30 e voltar pra casa às 21:00, por que sabia que trabalhando e estudando eu alcançaria meus objetivos.

Me abandonei por alguns anos. To tentando recuperar isso e me redescobrir,

Tenho que aprender a me amar, além de conquistar meus desafios e vencer meus medos, tenho receio de ficar sozinha, mas eu tenho pessoas maravilhosas ao meu redor, só tenho a agradecer por me aceitarem da maneira que eu sou.

Conheço a Scarlett há 13 anos e somos melhores amigas há 3.

Fomos vizinhas e estudávamos na mesma escola, tínhamos amigas em comum, mas nunca trocamos nenhuma palavra.
Na hora da saída eu andava rápido para chegar antes dela em casa, sabe aqueles pensamentos de criança ‘’tenho que chegar primeiro’’ ou ‘’tenho que passar na frente dela’’. Não gostava dela. Mas sem qualquer motivo pra isso.”

“Quando fui para o ensino médio até a encontrei algumas vezes, mas só trocamos olhares indiferentes.

Em 2013 no verão me chamaram para ir numa festa, antes da festa passei na casa do meu amigo, a Scarlett estava lá, eles eram amigos, como era a única menina, puxei assunto, desde aquela noite não paramos mais de nos falar.

Temos um vasto histórico de desentendimentos, somos duas sagitarianas e isso não ameniza as coisas.
Ela cuida de mim, me ensinou a ser mais afetiva.
Eu era muito grossa com meus outros amigos, sempre estava evitando maiores aproximações.

Eu nunca desisti dela e ela nunca desistiu de mim.

Sou muito ciumenta, quando sinto que estamos nos afastando fico bem dramática, mas faço isso porque morro de medo de perder uma das pessoas mais importantes da minha vida. A Scarlett é a minha melhor amiga, ela esta sempre ao meu lado, quando estou errada ela é sincera, não passa a mão na minha cabeça, mas quando estou certa me da todo apoio do mundo. Ela e a mãe dela fazem parte da minha família, são duas mulheres maravilhosas que não me vejo mais sem elas.”

“Meu nome é Scarlett, fiz 20 anos e atualmente moro com a minha mãe.
Minha infância foi bem normal até meus pais se separarem duas semanas depois do meu aniversario de 7 anos.

Meu pai nunca foi presente e nunca senti falta da presença dele, minha mãe sempre fez os dois papéis muito bem.
Mesmo ela trabalhando em dois empregos e não tendo muito tempo para ficar comigo, ela sempre compensou a falta que fazia durante a semana.

Quando meus pais se separaram eu fui morar com a minha avó e tive que mudar de escola, foi o momento mais difícil pra mim, afinal eu era apenas uma criança e não teria mais a mesma rotina.

Acabei mudando para a escola mais perto de casa, onde tive momentos felizes mas também muitos tristes.
Nessa escola foi onde eu conheci a Camila, que era minha vizinha.
Por volta dos meus 14 anos minha mãe foi morar comigo e minha avó. Ela me dava muita liberdade, e isso era motivo de briga entre as duas. Minha mãe justificava dizendo que eu precisava aprender e que elas não estariam alí para sempre.

Eu e minha mãe brigávamos muito nessa época até ela decidiu sair da casa da minha avó para viver só comigo. E esse dia foi o mais feliz da minha vida até hoje.
Desde lá nos unimos muito mais! Sinto que agora ela é minha maior amiga alem de ser minha mãe e sempre está me apoiando nas minhas conquistas e do meu lado quando preciso. Ela foi a maior incentivadora pra que eu fizesse o ensaio com a Camila.

Ainda no ensino médio eu conheci um cara maravilhoso, o Patrick. Estamos juntos há 2 anos e meio.
Meu maior sonho é me formar em fotografia, mas sei que ainda vou lutar muito pra realizar isso.”

“A Camila nunca foi minha “amiga”….

Ela pulou todas as etapas da amizade e acabou como melhor amiga.

Acho que as coisas que aconteceram antes de virarmos amigas nos ajudaram na aproximação.
Aquele verão em que a gente se aproximou, foi o melhor de todos os tempos, passamos quase todos os dias juntas.

Alguns amigos em comum achavam muito estranho essa aproximação, mas ninguém sabia que já nos conhecíamos há muito tempo. Ela é como uma irmã para mim e acho que nós temos esse sentimento tão forte por sermos filhas únicas, acabamos nos adotando como irmãs.
Mesmo com muitas brigas, continuamos juntas, passamos por muitas coisas juntas, mas não me arrependo de nada. Eu quero ela sempre ao meu lado, ela faz parte da minha família e isso nunca vai mudar. A gente tem muitos planos pro futuro e tem a certeza de realizar cada um deles.
Já tive muitas amizades mas nada como a nossa! É um sentimento que não tem explicação…”