Bruna Perugia

Mulheres

 

“Sabe gente que sempre se atrasa?
Se eu não me atrasar, não sou eu…
É uma mistura de nervosa, ansiosa e atrapalhada.”

“Eu trabalhava com marketing, e depois fui pra RH mas meu trabalho me causava muito stress. A noite eu tinha crises de ansiedade, no inicio era um inferno. Eu fui a três médicos até entender o que tava acontecendo…”.

– E como esse stress te atrapalhou?
– Eu acabei largando tudo e agora to realizando um sonho e fazendo psicologia.
– E por que psicologia?
– Eu sempre gostei de ajudar as pessoas. Eu vejo na psicologia uma forma de continuar fazendo isso.

“Num dos primeiros encontros com o meu namorado, fomos pra uma praça e quando fui sentar e cruzei a perna, percebi que tinha uma meia… um pé de meia dentro da calça…”

– Qual a parte mais difícil de ser psicóloga?

– Acho que não posso te dizer ao certo isso como profissional da área, porque ainda é muito cedo, mas o que eu vejo, com o olhar de fora, é que é um tipo de profissão que sofre com preconceitos ainda. As pessoas acham que não há necessidade de ir ao psicólogo, que ter de contar toda a vida pra alguém que não te conhece e não te acompanha durante a tua vida, não faz sentido, não resolveria em nada.

Outro ponto que vejo as pessoas falarem muito, é que psicólogo é coisa pra louco, que só quem tem doenças mais graves tem necessidade de uma consulta. Do meu ponto de vista, são opiniões sem conhecimento. Enquanto ouço vários depoimentos contra uma consulta com psicólogo Eu, pelo contrário, sempre quis consultar com um. Acho incrível alguem poder te ajudar e te ‘ensinar’ a encarar os monstrinhos que carregamos dentro de nós”.