Breno Feijo

Homens

cm

“Olá, meu nome é Breno e tenho 25 anos. Busco sempre as coisas inusitadas da vida, que sejam diferentes. Vi no Bendito Fruto outra oportunidade de expressar, de sair fora da raia comum para busca de outras coisas.”

“Cursei outras faculdades até chegar no curso de Direito, e isso ajuda nessa coisa da dualidade entre momentos de trabalho e diversão. Sempre surpreendo alguém quando comento sobre meu curso e profissão, e gosto disso. Acho que ajuda a desmistificar padrões e passa um recado de quem é possível ser “diferente” e ao mesmo tempo normal.”

“As tatuagens, sempre elas como referência. Comecei cedo, aos 14, mas só as 17 que resolvi que seria um jeito de demonstrar que não me conformava com padrões, e que buscava o meu. Ostento cada traço do meu corpo com muito orgulho, e busco sempre incentivar amigos para tentarem ao menos uma vez, porque pra mim é realmente algo importante, é uma questão pessoal.

Não cresci em uma família normal, mas sim em vários núcleos familiares distintos. Já morei com pai, com mãe, com a minha vó e tia. Cada casa com suas regras e segredos. O que era tabu em uma casa, anos depois iria descobrir que era algo comum na próxima. Essa multitude de ambientes moldou uma personalidade que faz as vezes de camaleão, buscando compreender melhor os ambientes que vivo. Vejo resultado disso na facilidade que tenho de fazer amigos e de certa forma na empatia que sinto pelos outros.”

“Não foi fácil crescer com essas mudanças. Perdi meu pai muito cedo, em 2004, e isso pra mim foi o ponto que sabia que a minha vida estava entrando em um ciclo de mudanças, e mesmo hoje, em 2015, ainda não afirmo toda extensão desse impacto.

E escolha do mel e limão, muito associado a chás para ficar melhor da gripe, tem essa inspiração familiar que foi a minha avó paterna, a Dona Lídia. Quando eu era pequeno e ia visitar ela, já era muitas vezes recebido com doses e mais doses de chá, e esse hábito se criou em mim. Achei que seria um jeito bacana de homenagear esses dias que vivi.”