Ana Paula Vidor

Mulheres

“Eu gosto muito de números. No meu primeiro emprego eu fui auxiliar administrativa e gostei. Antes disso eu queria ser médica. Uma vez cortei a ponta do dedo ralando repolho e fez um buraco, saiu muito sangue, eu comecei a ficar nervosa de ver aquele sangue todo e precisei sentar o sofá e naquele momento eu desisti de ser médica”.

“Até meus dez anos de idade eu não conhecia meu pai. Nessa época ele entrou na minha família como “pai” mesmo. Nao sei bem porque ele resolveu aparecer nessa época mas ele não parecia querer estar lá e acabou se tornando alcoólatra. Como ele não podia trabalhar por um tempo, minha mãe teve que pegar dois empregos. Nessa época ele teve uma parada cardiorespiratoria, e a situação foi piorando ate que eles separaram. Depois de um tempo minha mãe encontrou o primeiro namorado dela e eles estão juntos hoje. Eles estavam separados há 25 anos e agora estão juntos novamente”.

“As vezes mais parece que eu tenho 50 anos, e não 21.
Nao consigo viver “o hoje”, o tempo passa muito rápido pra mim e sou muito ansiosa, acabo sofrendo por antecipação ou por ser muito sentimental, pensando mais nos outros do que em mim mesma. Me doando demais e esperando reciprocidade mas me decepcionando sempre”.

“Já fui casada! Foram 3 anos, eu não me arrependo. Acabou porque o sentimento acabou da minha parte, mas a gente é muito amigo hoje, to feliz que ele esteja namorando e tenha encontrado alguém que faz bem pra ele”.

“Tenho medo de morrer e não conseguir fazer tudo que eu queria. Eu tenho traumas de andar de carro, porque muitos amigos meus morreram em acidentes. Teve um que na volta de uma festa foi atingido por dois caras que estavam fazendo um racha. Eu fiquei sabendo enquanto olhava o facebook e vi o nome dele aparecer assim, do nada”.